Pular para o conteúdo principal

Estrada com nome..


Na estrada eu componho o trajeto
Os lugares que pisei
As sensações que pousou em mim
O medo e a certeza diante e á frente
As sensações intensas do momento de falar e calar, do momento de ouvir e de me mostrar..
Na estrada eu olho a garoa que em mim surgiu como novo
E não tão novo, era a confirmação de tamanho sentimento de identificação da menina e da amiga
A mãe se ausentou da filha que a buscou, da mãe que zela e diz não..
Quiz provar o dizer sim, nos momentos que eu queria dizer não pra menina..
Queria abraçar com afeto, mas a estrada era longa.. E ela só começou um novo percurso
Todas as palavras antes ditas, queria que meu olhar transmitisse
O som da minha voz confirmasse o quanto é igual o longe e o diante.
Perto sempre foi.. Dentro do coração..
E o quanto de mim mesma há sempre, e não há dubiedade de personalidades..
Exato é a sensação que me dá, de que no meu colo veio parar a menina Jó
Quem sou eu pra isso ?
Até onde eu consigo entender quem eu mesma sou ?
Que estrada longa e cheia de interrogações, e quantas vezes olho para um céu que se cala e que em grandes momentos me penetra em intimidades e clarezas
Ao meu ouvido ouço a voz do mestre dizendo...Siga...
E no momento que me sinto pó, tão quanto nada sou, vejo o quanto sou.. no Siga...
Sou uma lágrima que rola no impacto do encontro
Sou os sorrisos provocados, sendo eu mesma..
Servo de pouca serventia ? ouvi o som das vozes, no ouvido de longe..
E a confirmação de que apenas vaso diante do olheiro me lacuno
E ao me ser brecha, e ao me ser Eis-me aqui..Apenas sirvo ao meu chamado..
Mais alto do que eu.. São as respostas e a posição de soldado que tem..
Não saberei o amanhã, mas o hoje me coloca em prumos exatos
Não posso cambalear nem pra direita e nem pra esquerda..
E no toque de obedecer e de colocar no bolso a rebeldia
Eu me vejo no novo que não conhecia..
Eis que a estrada é longa, mas as marcações são escritas em livros diários
E nada que acontece é banido da profecia..
Estrada de Jardins e Vale de ossos..
Estrada de barro e de chão..
Estrada de loucura e de liberdade ..
Estrada que foi colocada os nossos nomes
Instransponível é..
.

Comentários

Alvaro Oliveira disse…
Christi

Simplesmente adorei este
maravilhoso Estrada com nome.

Um beijo

Alvaro
Mari Amorim disse…
Christi,
Muito bom teu texto,bem escrito,Parabéns!
Obrigada pela visita e carinho.
Aceita um café? seria maravilhoso
Boas energias

Mari

Postagens mais visitadas deste blog

Borboletas (Mário Quintana)

Borboletas
(Mário Quintana)

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.
As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.
Temos que nos bastar... nos bastar sempre, e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.
As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.
O segredo é n…

Há para Todas as coisas, um Tempo determinado por Deus.

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: . Há Tempo de nascer, e tempo de morrer; Tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou: . Tempo de matar, e tempo de curar: Tempo de derribar, e tempo de edificar: . Tempo de chorar, e tempo de rir: Tempo de prantear, e tempo de saltar: . Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras: Tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar: . Tempo de busca, e tempo de perder: Tempo de guardar, e tempo de deitar fora: . Tempo de rasgar, e tempo de coser: Tempo de estar calado, e tempo de falar: . Tempo de amar, e tempo de aborrecer: Tempo de guerra, e tempo de Paz. . Eclesiastes 3:1-8
Fotografia de Carol Silveiro http://www.flickr.com/photos/carolsilvestre/2943859815/

Troca-se pintinho por garrafa...rs

Retrospectivasdeinfância... . Era uma vez... Um carroceiro que passava gritando na rua: _ Trocam-se pintinhos por garrafa !!!! _Panela velha, ferro velho e garrafão. _Um garrafão vale 1 pintinho !!! . Quando ouvíamos isso, saíamos correndo gritando: _Mãe !!!! Me dá uma panela velha, um garrafão pra trocar pelo pintinho !!! Saíam as crianças todas da rua, cheias de panela, garrafas e ferro-velho para trocar pelos lindos pintinhos coloridos, de todas as cores e todos piando ao mesmo tempo, pra felicidade geral da criançada. . Eo carroceiro, muito malandramente, pegava uma quantidade que valeria no mínimo !!! uns 4 pintinhos, e na troca, só nos davam 1 ou no máximo 2 pintinhos. Mas, como éramos crianças, e não entendíamos de economia, um peso e duas medidas ou coisa do gênero.... Saíamos felizes da vida, uns com menos pintinhos, outros com uma caixa de papelão cheias deles, pra enlouquecerem as mamães. rsrs E as mães em pânico !!!! _Onde vamos botar tantos pintos ????? . Arrumávamos uma gaiola de passar…