E ela caminhou os horizontes..fez brincadeiras com as fontes, mudou e mexeu nos verticais abusos do tempo..As palavras ? lhe alimentam o silêncio e o grito interior..

16 de março de 2016

Quebra cabeça de mil peças..



Acredito que o caminho de cada um seja uma linha muita fina entre seguir reto e pegar todos os pontos de referências que um jornaleiro possa dar, ou um mapa com toda linguagem competente de quem desafia o Everest.
Exite um meio, o início meio básico, sempre vem em forma de fogo, em forma de uhu, em forma de caraca vamos que vamos cara, com gosto de suspiro, de bolo de casamento, de cheiro de fralda de bebê, com aquele bem estar de subir no púlpito e jogar o chapéu com os formandos, do frio na barriga de quando nos apaixonamos e da alma que parece poder ser tocada quando encontramos um grande ou melhor, o amor.
O fim não nos pertence, então não tem como falar muito dele.
Mas como não falar de fins, se quando existe fracasso, angústia e dor na caminhada a gente não sabe mais o que fazer..
parecemos parasitas de nós mesmos ás vezes e isso não seria um tipo de fim ?
O meio meu caro..
o meio é foda..
é aquele momento que se você saiu do caminho que o jornaleiro te falou, ou esqueceu de pegar um trajeto igual, e fez algum tipo de desvio, se viu diante de dois caminhos, de duas curvas, de duas retas extremamente parecidas e aí agora ?
Agora é uni du ni te..vou jogar uma moeda pra cima, cara ou coroa..
Vou seguir meu instinto
Vou rezar um terço
Vou meditar..
Vou comer um doce..
Depois decido isso aí cara, afinal to no meio do caminho..
Aí o instinto te levou, o terço chegou no amém, a meditação te fez quase dormir, o doce virou dois, e agora José ?
Agora se joga na primeira que tu achar que é a parada da curva, da reta, do caramba a quatro e vai !
O Meio
Ele tem cores variadas, não é arco íris e nem cor de rosas.
A razão encosta nas finas linhas dos sentimentos paleativos.
A morfina não faz mais o efeito quando você precisa dela..
O choro antes corriqueiro, vem com aquela depressiva constância que irrita os fortes..
Então você se vê só.
Quem nunca ?
Só de si.
É a pior das solidões.
É quando você já foi, já era, e não é canção de Jorge e Matheus, é mais parecida com Renato russo
Agora quero descansar, andar até a praia e ver..se o vento ainda está forte..vai..
Sozinha com um ser desconhecido dentro do seu corpo
Quem és tu peça desconhecida do meu quebra cabeça ?¹
Cara ! tu ta me atrapalhando pra caralho
Certo, mas eu não sei ser outra coisa, talvez não seja uma coisa, talvez a coisa esteja me definindo errado, e tem muita coisa nisso ?
F...
Me sinto como Davi escondendo-se de si mesmo numa montanha
Sem saber mais quem é
Mas você não ta falando daquele que jogou a pedra no grandão ?
no tampinha lá que fez história e tal
e que até virou Rei. Que eu saiba, bem importante esse daí..
Pois é..
Ele também se deu o luxo de se perder um dia.
E diariamente escrevia coisas lindas e tentava de todas as formas de esconder até de Deus
tava doidão, a morfina dele também não fazia mais efeito, o passaporte tava com visto vencido e ainda por cima suas tangentes não lhe cabiam mais..
Se eu for retratar suas dores, eu ficaria um ano inteiro aqui, e de um texto, viraria uma enciclopédia.
Hum....
Se esse daí também se perdeu, foi pra caverna, e ficou doidão, tentou fugir de tudo, pra não ter que ficar com um estranho que foi morar dentro dele. O tal do Só.
Triste esse cara véio..
Quebra cabeça que insiste em ser peça em lugar errado.
daquele que a gente monta de mil peças
e esconde debaixo do tapete pra ninguém chegar perto
porque é muito raro.
lhe é muito caro..
lhe é muito importante..
mas somem duas peças..e o que fazer com a paisagem que se vê..
Porque sem duas peças, olhando assim de cima
dá pra ver uma paisagem linda..
verdade, mesmo sem uma ou duas peças, a gente consegue ver a imagem e semelhança da caixinha
Mas aquela sensação de que chegamos no fim dessa jornada
fica sem sal, sem gosto, parece que perdemos, que enlouqueceremos
se não tivermos lá nosso quebra de mil peças Todo montado
Não adianta chegar até certo grau da vida e não perceber que é necessário se dar novas ópticas
pra buscas que ainda não encontramos em nós.
porque aquele Sol que nasce pra todos
nem sempre ilumina, ás vezes queima se não houver na alma o filtro solar que seja necessário
usar proteção á menos, é igual temporal com guarda chuva virado pra cima.
serve pra nada..
O que fazer diante desse Só que você implora pra ele sair, porque você era gente boa cara, era divertido, era certeiro, era um ser próspero e com êxito no que fazia..
e agora..parece que cada passo é um tropeço
e que você virou um grande e dos bem grandes perdidos em marte.
Achar os verbos da vida requer tempo
ás vezes sepulcos vazios, ás vezes festas inteiras.
Mas acho que a única forma de sobreviver diante disso tudo, seja o voltar.
voltar e saber que precisa achar aquela criatura valente do início
é uma tarefa que parece que pra uns é a mais difícil
mais dificil que equação de segundo grau, quando ainda é só uma criança..
Mas é impossível a lei da vida não te fazer seguir..
Nem que seja com o raio do Só ainda te fazendo chorar..
Achar-se agora é a tarefa mais importante..
o bem mais precioso
porque é você que ta lá te esperando..
e vale á pena voltar à sorrir de novo..

7 de março de 2016

Silêncio de solidão..




Como  gostaria de ter a fórmula sagrada do silêncio.
suas origens e seus comandos.. Sua força e sua fraqueza..
Ela tem andado com a confusão entre nuvens..
E o que dizer de tudo que já passou pra chegar nessa estrada ?
Não lhe foi avisado os tormentos da dúvida?
Corre e finge de morta.. Vai..Corre e finge de morta..
Não consegue, seu pulsar é intenso..suas necessidades de viver não cabem no túmulo
Sua mente tem como companheira um turbilhão de coisas á falar..
Com quem falar ?
Não sabia que lhe seria proibido compartilhar tudo que tens?
Sim..mas não sabia que esse tipo de silêncio era tão solitário.
Diferenciado pelas dores da alma..
O Vento lhe faz falta, o ar entra em seus pulmões e quase agride de tão sugado que é
pra dentro do que chamamos fôlego..
Como gostaria de saber dos novos ventos, se seu barco aguentará mais uma tempestade..
Os gritos lhe são ouvidos..
Por quem ?
Somente por ela mesma..

7 de outubro de 2015

chão de nuvens..



Seus passos eram maiores que seu caminhar..
Antecipando sonhos em nuvens de caneta e papel
desconforto com o sorriso que agrada e com o sorriso que embarga
sapatos altos de atitudes com tênis sujos de descobertas
uma bagunça do tamanho do mundo organizou o caus
de dentro pra fora..de fora pra dentro..
o espelho distorcia a imagem que se via..
a imagem que o viam..
a nuance que refletia..
as cores que queria ter..
e as que eram..
Seus passos enrolavam os cadarços da esquerda pra direita
e não se dava um passo pra frente
aglomerado de terra com pensamentos na lua
fugia pra dentro de si como um esquizofrênico em seus mundos.
Sua necessidade de aceitação imitava os atores de hollywood
como ensinar o caminho que leva á sua própria construção..?
Marcas de sangue no piso branco
onde estão os panos que limpam..?
como se curam as dores..?
adolescer é modificar..estar em constante mudança..entrar e sair
da infância..da maturidade..da imaturidade..dos arrependimentos..
dos achares..dos equívocos..da dor..do sorrir..
enrola seu peito no meu coração..
quando achar que a solidão bateu na porta.
ela é capaz de encontrar sentada na cadeira..
a razão em forma de lágrima..
a emoção em traços de dureza flor..
ensina o tempo que ele vem e ás vezes o relógio para..
ensina os galhos secos que da noite pro dia a folha nasce na primavera..
Grande sempre será o coração do sonhador..
Mas tão pequeno quem não usar seus tênis de all star pra pisar no próprio chão..
de giz..de liz..de aniz..
mas chão..

10 de dezembro de 2014

Meu encontro..


Tem que pisar..
Tem que sentir..
Os pés na areia nos levam á uma nudez de saltos, de poses, de postura...
Só..Á sós conosco..
O mar, a areia, os sentidos..
Quem não precisa de si mesmo e só de si de vez em quando ?
O barulho exterior é muito.. os avessos se constroem onde não há títulos..
Uma pausa..
Na corrida, uma vista que me inquieta os olhos
Preciso colocar os pensamentos em ordem, o corpo em sintonia com o barulho que vem do vento..
A brisa não é som que se ouve em todo canto..
É conquistado como borboleta que sai do casulo
Á duras penas, a brisa sopra em seu rosto o cabelo que se solta
Nessa hora, há um encontro..um outro, aquele com o que te absorve, o que se sorve, o que te move..
O silêncio do grito interior..
Pronto ! Ufa ! Agora posso voltar á correr..
A areia vai soltando dos meus pés
A marisia vai fazendo parte do contexto..
A parada.. é só um pretexto para sentir o seu próprio chão...
como trem que vai nos trilhos
como velocidade que quebra o velocímetro
a música que se precisa ouvir é lembrança..é gostosa..e é só minha..
Carpie diem !..Nem sempre dá pra fazer isso..ainda mais descalço. rs
Bora lá !

21 de novembro de 2014

Minha plantação de rosas..


Vem logo saudade boa e chega pra ocupar o espaço que é só seu..
A alma fala mais alto que o corpo, que o desejo, que os sentidos..
Vem logo me dar a flor que ilumina o jardim que é só nosso..
Amanhã é um novo tempo..
Que espero desde o tempo que já era eterno...
Erros podem ser  freiados, mesmo quando causam febre no corpo
..quando já se errou e se sentiu o seu sabor antes..
Acertos podem ser  acelerados..quando o que temos é uma plantação de rosas..
E não de espinhos a colher..
Vem..

19 de novembro de 2014

Eixos..



Um lote perto dos trilhos..
Ali bem onde se cruzam os caminhos dos trens desativados..
Preto no branco
Palavras que se esforçam pra se manterem em prumo..
Um trocadilho de nomes e pessoas..
Uma voz do outro lado da linha..
O trem ativa os eixos que ligam a turbina..
Mecãnica exata da partida do seu combustível
Ao longo..
A paisagem distrai a visão do condutor
O timbre..A risada..A tensão..
A bifurcação tem dois cursos..
A distração é concreta e como um muro.. divide universos..
O condutor quebra os protocolos, simula, induz, os trilhos estão á frente
Existe um caminho..Vou passar por ele..
Não dá ! vou fazer dar..
Multifacetado, duro e agradável caminho..
.
O trem para..
O olhar é fixo dentro do olhar
A sutileza desliza para um calar
O som da voz tremula a pele
que não se toca com facilidade..
Utópica situação entre uma linha, um espaço, uma casa, e dois condutores.
Não era um ?
Um outro trem vem na direção e muda as estimativas..
Não vem de qualquer maneira, vem devagar, vem como é..
Não vem no script, não só desce, põe pés no chão..
Brinca como menina que não teme perigo
ele observa..
ela analisa.
O sonho é algo que não é previsível, normalmente deve ser prático e objetivo para o outro condutor..
Afinal..ele conduz e gosta disso..ela analisa..
Prático e objetivo..
Brincar é Praticar pra ele..
Poros são toques pra ela..
.
Um lote perto dos trilhos..
E não sabem onde vai dar..
A estrada é estreita, não cabem dois..
Descem..os trens param...a fumaça sobe..os barulhos dos freios são imensos.
Metáfora é o requinte que vestimos a realidade..
Ela é o disfarce do real, mostrado, exposto, mas sem revelar..
O olhar é fixo dentro do olhar..
O caminho e a paisagem á frente é multiforme..desconhecida
e tem cara de aromas e sabores..
Aqui mora o conflitos dos eixos..
A turbina..
E o freio..




3 de julho de 2012

Marcas..


As marcas na minha pele são tuas transpirações em
mim..
Meu corpo fala a tua lingua..transcreve a tua
escrita..
Desmente fatos que os corpos não se
fundem..
O meu sentido..que me
toca..incendeia..anseia..
As marcas que tenho tatuam o seu aroma na
alma..
As tenho guardadas quando meus olhos encontram o
sono..
Quando entro em alfa e modificam as estações do
meu mundo..
Meu universo é bem versátil..somos dois corpos
sim..porque não ?
E quem disse que é possível ter espaço, lacuna,
vírgula, em peles que se amam..E que acabam, por vezes..ás vezes..no mesmo
lugar..

2 de julho de 2012

Som de suspiros..


Suspirei som de pássaros quando dentro de mim se fez um comigo..
Aguardei a cor brilhante das estrelas..pra poder olhar melhor o teu olhar em mim..
Meus cabelos se entrelaçavam no teu rosto enquanto teu beijo me fazia viajar fora pés..
O teu perfume me acalma e acelera meus sentidos..
O teu gosto me percebe
O meu sabor preferido..
Minhas mãos cabem direitinhos entre teus dedos..meu corpo vira quebra cabeça no seu..
Suspirei som de águas..as mais tranquilas..
O Amor tem barulho e tem silêncio..
Encontrei os meus extremos em Ti..

1 de julho de 2012

Marcação de hora..

Solicito uma visita aos meus acordes..
uma agenda que compacte as datas e horas
E numa nudez de compromissos..
Eu possa solamente receber a luz do sol sobre meu violão particular..
Solicito uma visita aos meus mais puros momentos..
Sem olhares que me desviem a atenção..
Um tête-à-tête
A correria corrói a nitidez dos pensamentos
A eloquência dos impulsos mentais..
A loucura das inspirações que vem ao coração cedinho..
As palavras que soltas se misturam no ar interno..
E ao formar as palavras, os textos, o trem passa, a buzina toca..
Foge e Foge e Foge a música verdadeira..
Solicito..podemos marcar ?

13 de janeiro de 2012

Chuvisco nos pés..



Quem confia..

Corre contra o vento..

Enxerga onde não há..

Respira o aroma do impossível

Tateia a água que desliza nos dedos

Confia em papiros celestes..

Anda em nuvens possíveis de virar céu..

.

14 de outubro de 2011

Corro em Tua direção..



E minha alma apetece acariciar os ventos de gratidão..

Envolta com um perfume que me ronda e sonda..

Sinto teu carinho me dizer..Filha Parabéns !

E a ti entrego meus dias e anos..

E por ti renego o que for..aceito o que vier..digo o meu sim..

E a ti grata por mais um ano em minha vida..

Obrigada Senhor e Mãe Santíssima..

Vem passar comigo mais um dia 14 de outubro..rs



2 de agosto de 2011

Névoa de coração..



E o coração ganhou ares de ar que anda solto no céu..

formou um espaço que não cabia na dimensão de dentro..

as asas eram névoas que rodopiavam no horizonte..

o coração fazia brincadeiras com a alegria..

sobrevoava com as borboletas o colorido que vem do bem querer..

enigmático sentimento que não se domina, mas se deixa ser livre..

(..)

(..)Chris..

(..)

31 de julho de 2011

Imagem..

Aprendendo a se olhar..

Ela aprende manusear os espelhos..

da alma..

da vida..

das emoções..

de dentro e de fora

as alterações de uma pétala

que vai

ao encontro da própria flor..

do cheiro que surge

na alquimia do perfume..

na madeira que dá forma ao configurado..

Ela tatea as linhas do seu tempo..

e desvenda sua real imagem..e semelhança..

30 de maio de 2011

Asas..

Força sublime a alçar pelos ares
inquietude de alma que plana e rasga os ventos
coração que pulsa celebrações
no entanto..
a brisa que acaricia o rosto da viagem
azul celeste..branco que tem o poder de brincar de tintas..

13 de março de 2011

"Kyrie Eleison"

Nas contas
de quem segura a vida..
se vê além vistas
a esperança do borrado virar nítido..
Nas contas
de quem embala a força e a leveza
a certeza das nuances dentre cores
entre os dedos e o balanço dos ventos..
entre a cruz e as contas marianas..
a missão ..
pois são D"elas..
o maior segredo
entre o céu e a terra..
Nas contas..
mãos piedosas de mãe

8 de agosto de 2010

Começando a despertar..

Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que tudo começou a ganhar uma cara que, no fundo, eu já conhecia, mas havia esquecido como era. Comecei a despertar do sono estéril que, com suas mãos feitas de medo e neblina, fez minha alma calar. E foi então que comecei a ouvir o canto de força e ternura que a vida tem.

.
Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que ninguém começa a despertar antes do instante em que algo em nós consegue deixar à mostra o truque que o medo faz. Só então a gente começa, devagarinho, para não assustar o medo, a refazer o caminho que nos leva a parir estrelas por dentro e a querer presentear o mundo com o brilho do riso que elas cantam. Só então a gente começa a entender o que é esse sol que mora no coração de todas as coisas. Não importa com que roupa elas se vistam: ele está lá.
.
Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que comecei a lembrar de onde é o céu e a perceber que o inferno é onde a gente mora quando tudo é sono. Comecei a sair dos meus desertos. E a olhar, ainda que timidamente, para todas as miragens, sem tanto desprezo, entendendo que havia um motivo para que elas estivessem exatamente onde as coloquei. Nenhum livro, nenhum sábio, nada poderia me ensinar o que cada uma me trouxe e o que, com o passar do tempo, continuo aprendendo com elas. Dizem que só é possível entendermos alguns pedaços da vida olhando para eles em retrospectiva. Acho que é verdade.
.
Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que comecei a compreender o respeito e a reverência que a experiência humana merece. A me dar conta de delícias que passaram despercebidas durante um sono inteiro. E a lembrar do que estou fazendo aqui. Ainda que eu não faça. Ainda que os vícios que o sono deixou costumem me atrapalhar. Ainda que, de vez em quando, finja continuar dormindo. Mas não tenho mais tanta pressa. Comecei a aprender a ser mais gentil com o meu passo. Afinal, não há lugar algum para chegar além de mim. Eu sou a viajante e a viagem.
.
Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que comecei a querer brincar, com uma percepção mais nítida do que é o brinquedo, mas também com um olhar mais puro para o que é o prazer. A ouvir o chamado da minha alma e a querer desenhar uma vida que passe por ele. A assumir a intenção de acordar a cada manhã sabendo para o quê estou levantando e comprometida com isso, seja lá o que isso for, porque, definitivamente, cansei de perambular pelos dias sem um compromisso genuíno. E comecei a gritar por liberdade de uma forma que me surpreendeu. Antes eu também gritava, mas o medo sufocava o grito para que eu não me desse conta do quanto estava presa.
.
Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que comecei a desejar menos entender de onde vim e a desejar mais aprender a estar aqui a cada agora. Só sei que descobri que a solidão é estar longe da própria alma. Que ninguém pode nos ferir sem a nossa cumplicidade. Que, sem que a gente perceba, estamos o tempo todo criando o que vivemos. Que o nosso menor gesto toca toda a vida porque nada está separado. Que a fé é uma palavra curta que arrumamos para denominar essa amplidão que é o nosso próprio poder.
.
Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. Só sei que não importam todos os rabiscos que já fizemos nem todos os papéis amassados na lixeira, porque todo texto bom de ser lido antes foi rascunho. E, por mais belo que seja, é natural que, ao relê-lo, percebamos uma palavra para ser acrescentada, trocada, excluída. A ausência de uma vírgula. A necessidade de um ponto. Uma interrogação que surge de repente. Viver é refazer o próprio texto muitas, incontáveis, vezes.
.
Não sei exatamente em que momento comecei a despertar. O que sei é que não quero aquele sono outra vez.
.
Ana Jácomo

5 de agosto de 2010

Doce lápis pirulito..

Encontrando doce entre as mãos
nos encontros das letras..
faço livro em uma página
distribuo um capítulo em uma linha..

Das vogais que moram em mim
fazendo encontros com meu imaginário..
vocálicas palavras transeuntes..
morada dos cabeçalhos
morada dos racionais e emotivos pensamentos..

Doce mel que desde na ponta dos meus dedos
me trazendo o maná do dia..
gota que escorre pelo lápis
imaginário pirulito de letrinhas
onde as palavras me curam
me leêm e me traduzem..
divã e alfabeto amigo
quem nunca precisou escrever
pra poder se ter melhor ? rs

23 de junho de 2010

Giram..

Foto do blogue da


De um jeito redondo de se ver o movimento, numa cadeira que balança ..
assim parece que súbitos pensamentos de se passar pelo mesmo lugar a todo tempo..
encosta nas paredes do meu próprio vento..
rodas que circulam e que desafiam o mesmo espaço sendo que com novos perfumes..
cada virada uma olhada e uma experiência nova..
cada circular com penas de ponta de lápis..
esfumaçando o contorno da minhas páginas..eu vou..
em um carrossel gigante de minha própria existência..
não digo vida..digo porquês..não digo vida..digo sensações..

20 de maio de 2010

Folha de quem espera..

Caminhos e caminhos..
estradas e estradas ..
a fila ta grande demais..

e os humanos andam distraídos..
mas.. uma só vaga reservada
na verdade, com o curriculum embaixo do braço
e até num parecer de um manuscrito
do que pode ser..num marketing pessoal
diante da mesa do que lhe foi peça de quebra cabeça ser..
.
No caminho o homem pensa ter as condições para a vaga
ao olhar para o olhar fixo e de balança do mestre..
olhando fixo para as letras que foram escritas
e para o candidato que lhe apresenta as linhas..
o mestre vê adiante e ainda por cima tem um vasto arquivo..
puxa a ficha e lá está..
chega para a pessoa displicente na vida e diz:
_ Querido, o seu curriculum não lhe pertence..
_ Como assim mestre ? tem o meu nome..todos esses atos e caminhos foram meus
inclusive, eu tenho até umas especializações nos versos e inversos dos becos que andei..
inclusive mestre, desculpe-me o abuso das palavras..eu descobri vielas e achei até bom ter conhecido os desvios do caminho porque me deu mais experiência para compor meu curriculum..
.
O mestre o olha com a paciência de quem ama..e diz:
_ Filho..compreendo o que diz..mas cada item que desviado foi..
automaticamente ao passar pelo fogo, virou palha, apagou-se
e hoje eu olho um papel em branco diante de ti..
Vou te explicar que na mesa da misericórdia..há um retorno quando isso acontece..
_ Mas eu não entendo mestre, e tudo que eu fiz ? e tudo que experimentei ?
_ Procurou ouvir sons que não eram os meus
Procurou ser levado por brisas que não me eram ventos..
E até sujou-se em lamas que a água não limpa..
E até enganou-se em pensar que auto piedade e auto justiça é a fonte da exclusão dos erros
E até pensou que..se é possível vir com um texto embaixo do braço e tentar enganar o seu próprio criador..
Eu que sondo corações e almas..
Vou lhe devolver o curriculum..
_ Como assim mestre !!! e agora o que será de mim ?
_ Reescreva o papel..ele em branco lhe é melhor que um rascunho de mentiras..
hipocrisia faz estragos maiores para quem as pratica, do que para quem possa acreditar..
Vá e volte com linhas que o fogo não queime..e que a palha não se queime
Vá com a liberdade..mas não volte mais com grilhões ..
a pior mentira filho, é a que se faz pra si mesmo..
examine-se..sempre..
Vá em paz..a vaga é individual e se chama identidade ..eu a criei..não a enterre..
Vá e não se esqueça que antes de escutar os outros..é preciso escutar a si mesmo
não sendo ingênuo de pensar que ouvir o coração é coisa de tolos
porque o mesmo que bate em artérias
é o ouvido da alma..
Leve seu papel ..traga um pergaminho..
Estarei te esperando voltar..
Com suas folhas novas..

11 de maio de 2010

Papai do céu..

Contorna os pedidos que não sabemos fazer..
Colore o recheio das orações caladas..
E quando não soubermos o que nos invade,
Vem e põe legenda em nós..
No dia de hoje acalma a tempestade
e põe tempestade em nossas estagnações
Sacode o calor de estarmos vivos..e ás vezes nem sabemos disso
Põe a tua paz nos calabouços de nossas friezas e lamentações..
Como criança que reza..torna-nos no dia de hoje
sem vírgulas pra falar e sem edições a fazer..
Somente uma "conversinha" entre dois coleguinhas íntimos..
A criança e o seu Senhor..

30 de abril de 2010

Silêncio de borboleta..


Uma borboleta pousou em meus lábios
Me deu, em poder de asas, o silêncio ..
procurei dentro de mim, as palavras
elas receberam a ordem de não se aproximarem
tentei entender o mistério, já que sempre pensei que as palavras fossem fruto da liberdade de expressão
e que o sinal da borboleta era voar, transformar, livre em tudo..
olhava pra cima e avistava o lindo bater de suas asas e as cores ao meu redor
pensava estar em um sono, buscava sair do alfa, mas não me encontrava nele
Passei um dia inteiro com o tal do silêncio em meus lábios
as palavras nem se mexiam, aliás, senti letra a letra feliz me contemplando
eram sapecas as criaturas, deixem elas comigo, pensei..
Caminhando por situações onde eu precisava falar, tive que me controlar em calar-me
e por não muito ouvir o meu próprio som, eu chorava, tentando buscar nas lágrimas, uma amiga..
cheguei ao final do dia me sentindo uma fortaleza
minhas emoções estavam mais fortes e não tão em descontrole
soube ouvir até o que não queria ouvir
e mais..
tive que ouvir o que as palavras cochichavam ao meu coração
ele, o coração ..buscou forças na razão e achou melhor deixar amarrado a emoção, que louca berrava querendo o domínio..
dentro do silêncio que me foi concedido, eu descobri equilíbrio no que vem do peito
Olhei novamente para o alto, e a borboleta vagarosamente, sem pressa alguma de agitar o relógio
tocou novamente em meus lábios e eu pude falar..
as palavras foram aos poucos voltando pra mim..
e ao findar aquele dia, preferi permanecer com o ouvido da alma aguçado
sem ter pressa de entender mistérios e me permitir sentir além do véu
asas transformadoras no silêncio dos falantes ..

28 de abril de 2010

Brilho que ergue..


E a luz do hoje te convida a levantar..
como uma luz revelada
como um mistério te abrindo caminhos
como ossos ganhando cálcio
como miragem ao sonhador..
o sol se faz em braços a te erguer..
desbravando a preguiça e a comodidade
se eu tiver o poder de ter um minuto de novo
e se um sorriso for gerado com novas sensações..
valeu a força do abrir de olhos
jorrados dentro do peito que pede vigor..
A luz que sara e que convida a marchar..

24 de abril de 2010

Abriu..

Branca é a porta
diante dos meus olhos..vejo..
O colorido do novo
Contemplando em estradas virgens
meus pés tem um chão bem ali..
quase inevitável são os rumos
meus grilhões cairam ao chão
e vou precisar aprender a viver o livre
Branca é a porta
lavou os papéis
a mácula passou
o tempo é outro..
diante dos meus olhos..vejo..
meus pés tem sede de apressar-se
e eu os paro e digo: Cautela querido..
vá com calma criatura..
são sapatos valorosos
não está vendo ?
ganharam a condicional
e o passaporte do destino
se chama vida
e o passaporte do destino
se chama recomeçar..

27 de fevereiro de 2010

Menino pequeno príncipe..

O pequeno príncipe diante do céu azul
o imensurável mundo á sua frente..
no entanto, seus olhos temem..
O pequeno príncipe se esqueceu..
sua memória oscila na terra
sua rosa companheira faz contemplação com o luar
seus sonhos são futuros
e sua cura infima em promessas
no entanto..tem páginas a andarilhar
cada dia tem lápis em seus pés
cada momento vence um gigante mortal
O pequeno e tão grande príncipe
transcende dois mundos, enxerga o que ninguém vê
ás vezes sozinho dentro do que vive..pensa estar só..
Tem uma criança vindo dentro dele
quando fecha os olhos e não lembra de como era ser adulto..
esquece na dor que tem bálsamo adiante..
esquece na dor que o sorriso é ganho na marra de muito chorar..
menino de sonhos..menino do canteiro celeste..
grãos em chão de estrelas..

28 de janeiro de 2010

Áspero e macio..


Proteção
de um casulo rústico
odres novos para um tanto de pele
A soneca da alma
em meio aos tapetes humanos..
toques do áspero ao macio..
tecidos de pureza sem mácula..
Eis que avisto uma miragem
tocando a íris de meus olhos
não é vislumbre..é real a beleza que vejo..
no muito dos livros teóricos procurei
no muito de páginas me embaralhei
mas foi no sentir de borboleta
que voa sem querer prender-se ao medo de voar
que eu pude alcançar em meio as guerras
a Paz da proteção..
Cochilo de linhas..
Passadas de pés nos meus papiros
nenhuma traça é capaz de chegar ao que é vivo e latente..
joguei fora o mofo e o úmido..
o sol entrou e curou as partes danificadas..
endureceu o que era frágil
fortaleceu o papel de mim..
em meio ao algodão e a juta..
fiz o meado de um abrigo
ali..paradinha..esperando um novo amanhecer..

23 de janeiro de 2010

Suave..


Ser suave..Como um toque de pássaros
Ser suave..Quando o peso dos problemas vierem..
Suavizar as páginas da vida..as tuas..as nossas.
As que tem dobras, marcas, manchas..
elas já são assim..não mudarão ao colocar sobre-peso
Suave como toques na mente ou no coração
com as pessos ao teu redor..
Suave consigo mesmo..
Talvez o mais difícil no equilibrio do ser..
Em pousos demarcados..apenas brisas

16 de janeiro de 2010

Contrários..



Só quem já provou a dor
Quem sofreu, se amargurou
Viu a cruz e a vida em tons reais
Quem no certo procurou
Mas no errado se perdeu
precisou saber recomeçar
.
Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar
Porque encontrou na derrota algum motivo para lutar
E assim viu no outono a primavera
Descobriu que é no conflito que a vida faz crescer
.
Que o verso tem reverso
Que o direito tem o avesso
Que o de graça tem seu preço
Que a vida tem contrários
.
E a saudade é um lugar
Que só chega quem amou
E o ódio é uma forma tão estranha de amar
.
Que o perto tem distâncias
E o esquerdo tem direito
Que a resposta tem pergunta
E o problema, a solução
E o amor começa aqui
No contrário que há em mim
E a sombra só existe quando brilha alguma luz.
.
Só quem soube duvidar
Pôde enfim acreditar
Viu sem ver e amou sem aprisionar
Quem no pouco se encontrou
Aprendeu multiplicar
Descobriu o dom de eternizar
.
Só quem perdoou na vida sabe o que é amar
Porque aprendeu que o amor só é amor
Se já provou alguma dor
E assim viu grandeza na miséria
Descobriu que é no limite
Que o amor pode nascer
.
Padre Fábio de Melo

25 de dezembro de 2009

"Á poder.."

"Á" poder das nuvens que transitam em um céu que toca,
em um céu que desce..
elas viram trechos apenas, nuvens disfarçadas de algodão..
são eternas..
são miragem de um colorido céu azul
com luzeiros de amarelo e abóbora..
.
"Á" poder de árvores que tocam um vento de um céu que desce,
são as nuvens a miragem de um milagre que vira possível..
o horizonte de um olho que nem sempre vê,
mas de uma alma que muito sente..
.
"Á" poder de um céu que utiliza de seus lábios
a firme firmamento humano,
paradoxos de perfeições inundando um ser imperfeito..
é o poder da Graça que cabe dentro de um ser chamado humano..
.
"Á" poder de uma firme certeza,
que as nuvens estão lá em cima,
e que mesmo assim,
o céu ás vezes desce..

24 de dezembro de 2009

Árvore de Amor..

Feliz Natal queridos !!!
Que a alegria de poder estar em família, em paz com Deus esteja reinando nos corações e lares de todos..
Um 2010 de momentos que nos surpreendam pra melhor, que o Senhor Deus reserve bençãos sem medidas, paz, alegria, amor a todos nós..
Grande beijo
Obrigada pelo carinho
Chris..