Pular para o conteúdo principal

Homenagem ao amado Drummond...

Caminhos

Media in Via

Carlos Drummond de Andrade - Alguma Poesia - 1930


Media in via erat lapis erat lapis
media in via
erat lapis
media in via erat lapis.

Non ero unquam immemor illius eventus
pervivi tam míhi in retinis defatigatis.
Non ero unquam immemor quod media in via
erat lapis
erat lapis media in viamedia in via
erat lapis.

..................................................


Este é aquele famoso poema dele só que em Latim. E tinha que ser a Pedra no meio do Caminho. O poema que ele escreveu nos anos 20, e que segundo alguns analistas foi o que mais causou polêmica.

Para Drummond era um poema "tão somente de repetição, oito vezes seguida, dos substantivos "meio", "caminho"e "pedra", ligados por preposição, artigos e um verbo"

Foi alvo de todo tipo de críticas: "Tem algumas idéias fixas, como a da pedra, que, se é verdade, não chega bem a ser verso", disse um famoso crítico da época chamado Agripino Grieco - alguém lembra deste crítico hoje? Critivavam também o fato dele ter usado "tinha uma pedra", em lugar de "havia uma pedra".

Críticas, críticas, críticas.. :) Sempre elas. Drummond pelo visto não ligava para elas. O Roberto Marinho uma vez, cedeu espaço para que Drummond e Vinícius de Morais respondecem a um crítico do jornal que falava mal dos dois. Vinícius estava muito danado da vida com isso, mas Drummond falou para ele "Não bate nele não, fica quieto, deixa pra lá", pois para Drummond, "Quando o crítico é burro, e não entende, não há o que fazer, nem o que responder".


Para não ficar só no latim:

No Meio do Caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedrano meio do caminho
tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.


Texto extraído do cantinho No porto...Drummond

Comentários

Sah Elizabeth disse…
Oi Chris!

Também adoro Drummond! E tbm adorei conhecer seu blog. :)

E deixemos os críticos criticando...rs..

Grande abraço,

Postagens mais visitadas deste blog

Borboletas (Mário Quintana)

Borboletas
(Mário Quintana)

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.
As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.
Temos que nos bastar... nos bastar sempre, e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.
As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.
O segredo é n…

Há para Todas as coisas, um Tempo determinado por Deus.

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: . Há Tempo de nascer, e tempo de morrer; Tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou: . Tempo de matar, e tempo de curar: Tempo de derribar, e tempo de edificar: . Tempo de chorar, e tempo de rir: Tempo de prantear, e tempo de saltar: . Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras: Tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar: . Tempo de busca, e tempo de perder: Tempo de guardar, e tempo de deitar fora: . Tempo de rasgar, e tempo de coser: Tempo de estar calado, e tempo de falar: . Tempo de amar, e tempo de aborrecer: Tempo de guerra, e tempo de Paz. . Eclesiastes 3:1-8
Fotografia de Carol Silveiro http://www.flickr.com/photos/carolsilvestre/2943859815/

Troca-se pintinho por garrafa...rs

Retrospectivasdeinfância... . Era uma vez... Um carroceiro que passava gritando na rua: _ Trocam-se pintinhos por garrafa !!!! _Panela velha, ferro velho e garrafão. _Um garrafão vale 1 pintinho !!! . Quando ouvíamos isso, saíamos correndo gritando: _Mãe !!!! Me dá uma panela velha, um garrafão pra trocar pelo pintinho !!! Saíam as crianças todas da rua, cheias de panela, garrafas e ferro-velho para trocar pelos lindos pintinhos coloridos, de todas as cores e todos piando ao mesmo tempo, pra felicidade geral da criançada. . Eo carroceiro, muito malandramente, pegava uma quantidade que valeria no mínimo !!! uns 4 pintinhos, e na troca, só nos davam 1 ou no máximo 2 pintinhos. Mas, como éramos crianças, e não entendíamos de economia, um peso e duas medidas ou coisa do gênero.... Saíamos felizes da vida, uns com menos pintinhos, outros com uma caixa de papelão cheias deles, pra enlouquecerem as mamães. rsrs E as mães em pânico !!!! _Onde vamos botar tantos pintos ????? . Arrumávamos uma gaiola de passar…