Pular para o conteúdo principal

Lenda da Maquete....



Era uma vez....

a linda história de um casal que tinham a maquete de um sonho
mas não sabiam o que fazêr pra que o projeto, virasse real.
o tempo passava, e eles iam aperfeiçoando o "objeto"
veio cru, de madeira e sem lixar
com o tempo, eles viram a necessidade de terem recebido algo tão magnífico
que eles tinham que fazer algo pra embelezar
usaram tintas nas paredes, pra que nada ficasse frio, sem vida
colocaram a idéia de um futuro jardim próximo a maquete
e o verde, tudo bem que um deles não curtia muito a cor, mas era bem natureza
e ela, animada com a ideía de pintar, de desenhar o verde do objeto
tinham dias que eles só a olhavam
a maquete.
e ficavam tão atraídos pela beleza do presente
que nem conseguiam dizer nada, nem sabiam o que falar....
e nem o que fazer.
em alguns momentos seus olhos choravam
seus corações tb....
em alguns momentos a adrenalina de fazer tudo virar real
ofuscava o senso de razão.
e eles se apaixonavam cada vez mais um pelo outro
mas a maquete estava em suas mãos....
foi deixada, caramba !!!
não é possível que tenham nos dado algo assim, dessa grandeza, diziam eles
e não iremos fazer nada ?
cada dia era melancólico pra um, de forma diferente
e se um sentia doer, o outro tb sentia
e se um se sentia sorrir, o outro já estava dando gargalhadas
era assim, a sintonia misteriosa do casal da maquete
começaram a lixar...
as farpas que com o uso da lixa fincava em seus dedos
doía, até sangrava, mas era preciso
as conversas eram longas, as perguntas....intermináveis, mas era preciso.
tudo era preciso entre eles
da mentira, á verdade
da razão, á emoção
o lixar trouxe sentimentos novos
amadurecidos
e a certeza de que a cada vez que a maquete era tocada, eles mesmos
não ficavam iguais.
incrivelmente, a cada toque novo, a cada cor, a cada regar da maquete
instantaneamente, como num conto de fadas, ou numa magia sem fim....
trazia cor e regava seus corações tb.
e eles cada vez mais se pareciam com o tal objeto que um dia entregaram nas mão deles
e era grande demais, repito, grande demais, para se compreender....
Cada um tinha um obstáculo diferente
e obstáculos parecidos
incomodava ? incomodava sim.
e eles sabiam, que no dia que não mais incomodasse, não seríam mais tão especiais assim
porque a imaginação deles era grande....
Um dia, fecharam os olhos e abriram a janela
e se viram dentro
tão dentro, que pareciam estarem de olhos abertos, juntos, seguraram um na mão do outro
e entraram
viajaram, no projeto ainda cru, mas com algumas melhorias que foram acrescentavam
conforme a necessidade pedia
e os seus corações eram o termômetro da obra.
Todo arquiteto sabe, que a maquete é seu objetivo
é seu ideal
eu vou dar duro, vou usar todos os meios, tudo que sei e o que não sei,
mas vou fazer com que esse objeto, fique real
tão real, que eu vou fazer da minha arquitetura, uma casa.
por exemplo.
uma casa ? sim, uma casa, o sonho de todo o ser humano
sonho ? mas, pq casa ? não poderia ser outra coisa mais glamourosa ? ou que desse status ?
uma casa.
porque há casas que não são feitas de tijolo, nem de pedra, nem de barro
há casas, que não são feitas de tintas a colorir paredes
de texturas, de papéis coloridos
não são feitos de granito, nem de tábua corrida
são feitas de amor.
de amor ?
isso é muito incoerente, não acha não ?
não, de amor.
porque o amor vence o vento, vence a chuva, vence a fome, vence a dor...
o amor vence quando há saúde, ou há doença
o amor vence quando há distância
e quando há o medo.
porque o verdadeiro amor, lança mora todo medo....
to entendendo....
me explica mais ....e esse casal ? sabiam o que estavam fazendo ? sabiam que a maquete
poderia ser o amor ?
talvez....lá no fundo eles soubessem sim
mas como foi falado, o presente era grande, grande, grande demais pra eles compreenderem
porque tem coisas que só lá na frente, que se entende
tem coisas que só lá na frente, se vê crescer e ganhar vida,
mas é no hoje, que se prepara a terra, pra se ver crescer algo.
mas e eles resolveram segurar as mãos e seguir a preparar a terra ?
diz a lenda.....
que eles tinham tanto medo, de segurar as mãos e seguirem novos caminhos
que eles fizeram assim.
encontraram um baú
e depositaram a maquete
ora, agora não entendi nada, mas a maquete não era grande, grande demais ?
sim, era grande
mas só quando eles fechavam os olhos, e acreditavam que essa maquete
viraria realidade.
pegaram a chave do baú
partiram no meio
e deram um pedaço um pra cada um.
e guardaram em seus corações
e falaram assim: Se o Destino um dia nos fizer, encontrarmos novamente.
juntaremos as duas partes
iremos tirar o baú de onde enterramos
e pegaremos a maquete de novo
não importa o que até lá
viveremos....faremos....decidiremos....
e nem com quem estaremos
se um dia nos separaremos, e venhamos a ficar anos sem nos ver.
mas nunca, nunca, nunca, tire o pedaço da sua chave
de dentro de vc
porque o meu pedaço sem o seu, não tem valor
e assim fizeram.....
seguiram seus caminhos, os que não davam medo, os que eram seguros aos seus olhos
e passaram anos sem se ver.
diz a lenda.....
que eles se perderam
um dia, um deles encontrou, o senhor Destino e perguntou o por quê, dele ter deixado isso acontecer com eles, se Destino, era algo pro futuro....
E o Destino respondeu, que seu nome não tem tempo no espaço
pode ser ontem, hj ou amanhã....
mas, as oportunidades só se batem, ás vezes, uma vez em nossas vidas.
E a oportunidade de duas vidas, terem uma só chave
Era mais do que Destino
Mas o mais importante não era terem tido, somente a chave
mas sim terem tido a coragem de virar a engrenagem e abrir
O Presente.
Porque o medo, disse o Destino, já deixou de lado muitos báus enterrados nas areias da vida.....

A Maquete do Impossível Amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Borboletas (Mário Quintana)

Borboletas
(Mário Quintana)

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.
As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.
Temos que nos bastar... nos bastar sempre, e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.
As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.
O segredo é n…

Há para Todas as coisas, um Tempo determinado por Deus.

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: . Há Tempo de nascer, e tempo de morrer; Tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou: . Tempo de matar, e tempo de curar: Tempo de derribar, e tempo de edificar: . Tempo de chorar, e tempo de rir: Tempo de prantear, e tempo de saltar: . Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras: Tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar: . Tempo de busca, e tempo de perder: Tempo de guardar, e tempo de deitar fora: . Tempo de rasgar, e tempo de coser: Tempo de estar calado, e tempo de falar: . Tempo de amar, e tempo de aborrecer: Tempo de guerra, e tempo de Paz. . Eclesiastes 3:1-8
Fotografia de Carol Silveiro http://www.flickr.com/photos/carolsilvestre/2943859815/

Troca-se pintinho por garrafa...rs

Retrospectivasdeinfância... . Era uma vez... Um carroceiro que passava gritando na rua: _ Trocam-se pintinhos por garrafa !!!! _Panela velha, ferro velho e garrafão. _Um garrafão vale 1 pintinho !!! . Quando ouvíamos isso, saíamos correndo gritando: _Mãe !!!! Me dá uma panela velha, um garrafão pra trocar pelo pintinho !!! Saíam as crianças todas da rua, cheias de panela, garrafas e ferro-velho para trocar pelos lindos pintinhos coloridos, de todas as cores e todos piando ao mesmo tempo, pra felicidade geral da criançada. . Eo carroceiro, muito malandramente, pegava uma quantidade que valeria no mínimo !!! uns 4 pintinhos, e na troca, só nos davam 1 ou no máximo 2 pintinhos. Mas, como éramos crianças, e não entendíamos de economia, um peso e duas medidas ou coisa do gênero.... Saíamos felizes da vida, uns com menos pintinhos, outros com uma caixa de papelão cheias deles, pra enlouquecerem as mamães. rsrs E as mães em pânico !!!! _Onde vamos botar tantos pintos ????? . Arrumávamos uma gaiola de passar…