Pular para o conteúdo principal

Quando me esquecer quem sou...


Eu quero esse modelo
Quero caber aqui, dentro das medidas
Não importando o surrealismo
Eu quero congelar a imagem
Quero aumentar as voltagens
Do meu metabolismo interior
Da meta e dos ismos possíveis
Eu quero essa estética
Padronizada e Igualada
Eu quero ser clone na rua
Ignorando os modernismos que surtam
Dizendo ser esse um erro globalizado da moda
.
No metal pesado estabeleço meu molde
Meus olhos declinam, pois não me vejo
E nos centímetros e milímetros existentes
Me perco...
Não me sinto quando olho que foi feito á minha imagem e semelhança
O modelo desse esboço de manequim
Meu estilo, Minha beleza, Meu glamour...
Preciso que vires moldura
Preciso que vires escultura
Pra perceber que ali eu sou, ainda sou...
Mas não me sinto e não me vejo ali
.
Modelo sei que sou
E o que sou ?
De que modelo venho ?
Desconheço autoria desse fato
A exigência dentro de mim é enorme
E percebo que através do reflexo do espelho
Sou igual ao metal
Mas olho e toco meu corpo e não me encontro
Há aumento de óptica, de gênero e de grau
Adoeço...
Sinto que adoeci quando esqueci de quem um dia fui
E no dia que mandei congelar meu corpo em araras
Material pesado agora sou
Tão frágil no entanto
Desfilo minha existência...

Comentários

Isa disse…
Encantou-me!
Como gostei deste poema!Quanto sentimento encerra e quanta verdade!
Parabéns,viu?
Beijoo.
isa.
Nelida Capela disse…
Oi! Envia um texto sobre a leitura do Lua Nova para publicar no Lector in Fabula e compartilhar com a Confraria dos 50. Você faz parte dela! Envia para nelida_capela@yahoo.com Beijo, Nelida
Tata disse…
Hei !!!!

Que bom que vc gosta!!!
Afional essa série da vida cotidoiana tiro do meu cotidiano mesmo! Eita vida louca!KKKKK

Mas... adorei seu texto!!!
cheio de verdades tbm!!!
bjinhos
Ps= tua fot tá cool tbm viu!KKK
bju
Isa disse…
Você me fez um convite:senta,lê comigo,toma um café.
Esqueceu de dizer se era todos os dias.Eu,abusadora,adorando suas palavras,seu blog,voltei,segui direitinho tudo.Estou sentada,saboreando as ofertas...
Beijoo.
isa.
Chris disse…
Te adoro Isa, estava meio sem inspiração...Sua companhia me dá vontade de continuar blogando.
Bjs no coração
Raiane disse…
Obrigado pelo comentario que deixou em meu blog..eu o uso apenas para desabafar mesmo..é uma forma de nao enlouquecer, se é que me entende..Os textos nao sao narraçoes, quem dera que fossem..sao minha vida dia a dia..qualquer coisa ja sabe como me encontrar..bjs
Raiane disse…
Muito obrigada Chris por tudo que tem me escrevido..tenho a impressao que te add no msn..estou sempre on line..trabalho com isso..se quiser pode se achegar..terei um imenso prazer em conversar com vc..Deus te abençoe..abraços

Postagens mais visitadas deste blog

Borboletas (Mário Quintana)

Borboletas
(Mário Quintana)

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.
As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.
Temos que nos bastar... nos bastar sempre, e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.
As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.
O segredo é n…

Há para Todas as coisas, um Tempo determinado por Deus.

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu: . Há Tempo de nascer, e tempo de morrer; Tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou: . Tempo de matar, e tempo de curar: Tempo de derribar, e tempo de edificar: . Tempo de chorar, e tempo de rir: Tempo de prantear, e tempo de saltar: . Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras: Tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar: . Tempo de busca, e tempo de perder: Tempo de guardar, e tempo de deitar fora: . Tempo de rasgar, e tempo de coser: Tempo de estar calado, e tempo de falar: . Tempo de amar, e tempo de aborrecer: Tempo de guerra, e tempo de Paz. . Eclesiastes 3:1-8
Fotografia de Carol Silveiro http://www.flickr.com/photos/carolsilvestre/2943859815/

Troca-se pintinho por garrafa...rs

Retrospectivasdeinfância... . Era uma vez... Um carroceiro que passava gritando na rua: _ Trocam-se pintinhos por garrafa !!!! _Panela velha, ferro velho e garrafão. _Um garrafão vale 1 pintinho !!! . Quando ouvíamos isso, saíamos correndo gritando: _Mãe !!!! Me dá uma panela velha, um garrafão pra trocar pelo pintinho !!! Saíam as crianças todas da rua, cheias de panela, garrafas e ferro-velho para trocar pelos lindos pintinhos coloridos, de todas as cores e todos piando ao mesmo tempo, pra felicidade geral da criançada. . Eo carroceiro, muito malandramente, pegava uma quantidade que valeria no mínimo !!! uns 4 pintinhos, e na troca, só nos davam 1 ou no máximo 2 pintinhos. Mas, como éramos crianças, e não entendíamos de economia, um peso e duas medidas ou coisa do gênero.... Saíamos felizes da vida, uns com menos pintinhos, outros com uma caixa de papelão cheias deles, pra enlouquecerem as mamães. rsrs E as mães em pânico !!!! _Onde vamos botar tantos pintos ????? . Arrumávamos uma gaiola de passar…